ELABORAÇÃO de Mapeamento Climático para a
identificação de Microclimas e Suporte ao
planejamento Urbano

Nome: Juliana Silva Almeida Santos
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 23/11/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador
Daniella do Amaral Mello Bonatto Examinador Interno
Luciana Aparecida Netto de Jesus Examinador Externo

Resumo: O clima urbano consiste em importante fator para a qualidade da ambiência urbana.
Compreender sua dinâmica e inter-relação com o ambiente construído possibilita
estabelecer estratégias para ações que culminem na melhoria da qualidade de vida
dos seus usuários, arranjos espaciais mais eficientes e a redução dos riscos
relacionados à saúde e a segurança humana. Os desafios impostos pela mudança
do clima e pelo aumento populacional nos centros urbanos, reiteram a urgência por
ações que assegurem uma boa condição ambiental. Ademais, se faz necessário e
urgente estudos que visem reduzir a falta de integração entre o conhecimento do
clima urbano e as práticas de planejamento. Esta pesquisa teve como objetivo
propor uma metodologia de mapeamento climático urbano na escala microclimática,
visando à delimitação de diretrizes urbanas capazes de contribuir para a melhoria
térmica dos núcleos urbanos. A metodologia foi estabelecida a partir da aplicação de
um modelo analítico voltado ao estudo do campo térmico urbano, baseado na
estrutura do Urban Climate Map (UCMap). O método foi associado a modelagem e
medições microclimáticas realizadas em situação sazonal de inverno. Mapas de
distribuição espacial das variáveis de temperatura e umidade do ar foram
correlacionados aos diferentes campos térmicos e potenciais de aquecimento
delimitados pelo modelo, no intuito de avaliar sua acurácia. O estudo em questão foi
realizado em recorte urbano situado no bairro Jardim Camburi, localizado na cidade
de Vitória (Espírito Santo). Como resultado, foi verificado o efeito positivo dos
parâmetros da ventilação urbana, sombreamento (ocasionado pela arborização e
construções) e áreas verdes na mitigação dos efeitos adversos da carga térmica.
Em contrapartida, foi observado que as áreas de maior potencial de aquecimento
correspondem a locais com alta emissividade e volume construído associado a uma
maior exposição à incidência solar direta. Em relação ao microclima da área
avaliada, foram observadas diferenças térmicas entre os pontos monitorados de até
2,6°C no período da manhã, 3,8°C a tarde e 1,7°C no turno da noite. Perante tais
resultados, foram elaboradas diretrizes como subsídio ao planejamento urbano local.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910