PATRIMÔNIO Industrial Portuário em Disputa: Porto de Vitória E
vizinhança na Grande Vitória (es)

Nome: Tatiana Endlich Carletto Cappato
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 03/10/2022
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Martha Machado Campos Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Clara Luiza Miranda Examinador Interno
Manoela Rossinetti Rufinoni Examinador Externo
Martha Machado Campos Orientador

Resumo: Esta dissertação aborda o Porto de Vitória e imediações, em registro que os reconhece como patrimônio industrial da Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV), situado no estado do Espírito Santo (ES) e busca demonstrar a importância da preservação desse patrimônio quando no âmbito de um projeto comum de cidade, que respeite, cuide, valorize e dê visibilidade às culturas locais. Isso mediante levantamento histórico e de campo dos bens industriais tangíveis e intangíveis situados em frações territoriais dos municípios de Vitória, Vila Velha e Cariacica, caracterizadas como território interurbano. Utiliza-se de metodologia em dois âmbitos: teórico-histórico e empírico. Dividida em três capítulos, o primeiro expõe revisão bibliográfica de literatura especializada sobre o tema do patrimônio industrial, bem como sobre cartas patrimoniais e acerca dos subtemas ‘sustentabilidade urbana’ e ‘direito à cidade’. Pressupõe-se assim, abordar a complexidade contida na preservação do patrimônio industrial sob a ótica dos referidos subtemas. No segundo capítulo são apresentados referentes históricos do Porto de Vitória, a partir de uma proposta de periodização, em cronologia iniciada com os períodos antecedentes a construção do Porto de Vitória (1545-1893), passa pela época de construção do patrimônio industrial portuário (1895-1966) e alcança o tempo das permanências e transformações portuárias (1967-2022). O levantamento, estudo e análise do patrimônio industrial portuário em território interurbano segue apresentado no terceiro capítulo e, na sequência, estudos de políticas públicas urbanas de patrimônio cultural dos planos diretores dos três municípios em questão. Complementarmente, expõe-se ainda política regional integrada na metrópole capixaba – o Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado da RMGV (PDUI-RMGV) –, que visa ao alcance de (re)ordenamento territorial, melhorias da mobilidade urbana, recuperação do meio-ambiente e desenvolvimento socioeconômico. Por fim, constata-se no âmbito do objeto em estudo, a existência de um expressivo patrimônio cultural, reconhecido nesta dissertação como patrimônio industrial portuário constituído desde 1895, de valor histórico, cultural, ambiental, social e tecnológico de alcance local, regional e global a ser preservado, com potencial de promover transformações urbanas significativas do ponto de vista da sustentabilidade urbana e das lutas populares pelo direito à cidade, a partir de reflexões sobre a história da construção desse patrimônio industrial.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910