ELEMENTOS Vazados: Análise do Desempenho
lumínico

Nome: Gabriela da Conceição Bolssoni
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 06/07/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Andréa Coelho Laranja Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Andréa Coelho Laranja Orientador
Edna Aparecida Nico Rodrigues Examinador Interno
Maria Maia Porto Examinador Externo

Resumo: A radiação solar é um recurso de extrema importância a ser considerado nos projetos por
ser a principal fonte de luz e calor do planeta, tendo dessa forma relação direta com o
desempenho térmico e lumínico das edificações. Nesse sentido, vale mencionar os
elementos vazados recursos arquitetônicos utilizados no controle dessa radiação. Assim,
esta pesquisa tem como objetivo avaliar o desempenho lumínico de elementos vazados a
partir da variação de diferentes parâmetros para um ambiente interno de escritório. Na
metodologia, foram utilizados os softwares Grasshopper + DIVA-for-Rhino para
avaliações de desempenho térmico e lumínico e Sketchup + Vray para análise dos efeitos
visuais de luz e sombra. As avaliações foram feitas para um ambiente interno de escritório
localizado na cidade de Vitória – ES (20°19’15” latitude Sul e 40°20'10" longitude
Oeste). Foram avaliados doze modelos de fechamento, um modelo em vidro e demais
modelos compostos por vidro e elementos vazados como segunda pele externa, para as
orientações Norte, Sul, Leste e Oeste. Os modelos foram avaliados em quatro etapas: (1)
Elementos vazados com mesma espessura e diferentes ângulos de insolação (α, β); (2)
Elementos vazados com mesmos ângulos de insolação (α, β) e diferentes espessuras; (3)
Elemento vazado associado a outros dispositivos arquitetônicos (janela alta e prateleira
de luz); (4) Elemento vazado associado à prateleira de luz com diferentes profundidades
internas. Nas análises do desempenho lumínico adotou-se como parâmetros de avaliação
os intervalos da UDI (Useful Daylight Illuminance), a Autonomia da Iluminação Natural
(DA), a Uniformidade indicada pela NBR ISO/CIE 8995-1 (ABNT, 2013) e a ocorrência
de efeitos visuais de luz e sombra no ambiente interno. De forma a complementar as
análises de desempenho lumínico foi avaliado o desempenho térmico por meio do
Percentual de Redução da Radiação Solar Transmitida pelos modelos. Como principais
resultados, identificou-se que os ângulos de insolação externos (α e β) são os fatores mais
determinantes para o desempenho lumínico, para a ocorrência dos efeitos visuais de luz
e sombra para a redução da radiação solar transmitida ao ambiente interno. Além disso,
constatou-se que a inserção conjunta da janela alta e das prateleiras de luz de menores
profundidades internas apresentaram capacidade de ampliar o desempenho dos elementos
vazados.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910