"Conforto Térmico do Transeunte: a Porosidade Urbana Como Condicionante da Ventilação"

Nome: Fabiana Trindade da Silva
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 11/04/2014
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Andréa Coelho Laranja Examinador Interno
Cristina Engel de Alvarez Orientador
Lucila Chebel Labaki Examinador Externo

Resumo: As modificações das estruturas urbanas associadas à falta de inclusão de questões climáticas nos Planos Diretores geram consequências ambientais que podem contribuir para o desconforto térmico do transeunte. Para regiões de clima quente e úmido, como o caso de Vitória (ES), a ventilação é especialmente relevante na promoção do necessário arejamento. Esta pesquisa objetivou avaliar a importância do vento para o conforto térmico do transeunte em climas quente e úmido, através de uma abordagem integrada de análise das configurações urbanas, da percepção térmica e da legislação urbana. Dessa forma, foi proposto o Método Integrado de Avaliação de Ventilação, cuja área de amostragem se concentra em um trecho urbano da Orla de Camburi em Vitória (ES). O Método utilizou medições microclimáticas simultâneas à aplicação de questionários de sensação térmica. As pesquisas de campo ocorreram nas estações de inverno, primavera e verão (totalizando seis dias de medições) e o total de 841 entrevistados. Os resultados da pesquisa forneceram subsídio para a proposição de escala de percepção e preferência de vento; proposição inicial de calibração do índice preditivo de conforto térmico PET (Physiological Equivalent Temperature) para a realidade climática de Vitória; e sistema para avaliação de adequabilidade quanto às questões de ventilação do PDU. A partir das medições registrou-se a maior redução da velocidade do vento em configurações urbanas de casas de até seis metros de altura e poucos afastamentos, enquanto a velocidade permanece praticamente a mesma entre edifícios altos, mas com generosos afastamentos entre eles. Identificou-se assim, a porosidade (afastamentos) das configurações urbanas como a característica de maior impacto da ventilação no nível do transeunte.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910