Perdas, Ganhos e Permanências na Paisagem da Enseada do Suá,
vitória-es

Nome: Lidiane Espindula
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 17/03/2014
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Eneida Maria Souza Mendonça Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Eneida Maria Souza Mendonça Orientador
José Francisco Bernardino Freitas Examinador Interno
Lúcia Maria Sá Antunes Costa Examinador Externo

Resumo: A dissertação aborda a paisagem e sua transformação diante do processo de evolução urbana, utilizando
como contexto empírico o bairro Enseada do Suá em Vitória, ES. O intuito é contribuir para o
entendimento da realidade urbana contemporânea quanto ao processo de urbanização, à produção do
espaço e à transformação da paisagem. O bairro Enseada do Suá, construído sobre aterro, na década de
1970, foi escolhido pelos impactos sobre a paisagem decorrentes do processo de urbanização, por ainda
manter elementos referenciais da paisagem em seu entorno e pela presença de terrenos vazios e
extensas áreas com edificações de até dois pavimentos, passíveis, portanto, de inserção em futura
dinâmica de urbanização. Buscou-se então, identificar perdas, ganhos e permanências na paisagem do
bairro, diante da possibilidade de intensificação de ocupação, considerando o elevado interesse
imobiliário sobre o lugar. Foram realizadas abordagens conceituais sobre paisagem e urbanização e
identificação do método a ser utilizado no estudo. Sobre o contexto empírico, foi analisada a trajetória
de crescimento urbano do bairro, a partir de abordagem relacionada à história, com destaque para a
transformação da paisagem, examinando as características da área antes do aterro e a partir do aterro, o
Plano de Urbanização desenvolvido e o plano executado, a evolução urbana e as futuras tendências de
ocupação. As fontes se constituíram de documentos originais, trabalhos acadêmicos, estudos técnicos,
legislações urbanísticas, fotografias, pesquisas de campo e entrevistas com pessoas chave. A principal
perda identificada está relacionada ao aterro na região, que distanciou os habitantes do mar, das antigas
praias e ilhas e dos demais elementos paisagísticos da região, modificando hábitos sociais e atividades
econômicas. A situação se agravou a partir da evolução urbana, com a efetiva ocupação do território,
que criou bloqueios na contemplação de alguns elementos. Contudo, o aterro também propiciou
benefícios à paisagem, principalmente na orla, a partir da implantação de infraestrutura nas novas praias
criadas e do parque linear, com a possibilidade de áreas arborizadas e de contemplação. A forma de
ocupação controlada na orla, em geral, garantiu a permanência na visualização de determinados
elementos localizados junto ao mar e garantiu o acesso dos habitantes ao mesmo. O mesmo não ocorre
quando o olhar é direcionado ao sentido oposto à orla devido à altura e à implantação das edificações.
Constatou-se, a partir de exame da legislação vigente, que a situação atual está passível de modificações
e a paisagem na iminência de novas perdas, necessitando de uma premente atenção por parte do
Governo Municipal. Desta maneira, o trabalho busca contribuir para a análise dos valores da paisagem,
bem como para orientar decisões quanto à ocupação urbana, c

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910