A DUALIDADE FORMAL E INFORMAL NA BUSCA PELO DIREITO À CIDADE - Os processos de construção do espaço urbano a partir da moradia na cidade de Vitória

Nome: Indira Maria Reis Paes Landim
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 18/06/2010
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Andre Tomoyuki Abe Examinador Externo
Cristina Engel de Alvarez Orientador
Maria Cristina da Silva Schicchi Examinador Externo

Resumo: A pesquisa se concentra nas relações entre a construção ou reconstrução do espaço urbano e a organização da sociedade, evidenciando-se o processo de segregação socioespacial a partir da habitação como uma das faces do desenvolvimento das cidades. Objetiva-se, portanto, caracterizar o processo de produção do espaço urbano a partir da produção habitacional, identificando, com isso, seus principais atores e mecanismos de ação. Para a realização de tal estudo é inicialmente feita uma revisão história sobre a formação urbana capixaba, em comparação ao contexto nacional e mundial, mediante a qual são elaborados mapas sobre a cidade de Vitória. Depois de avançado neste quesito, são identificadas, dentro da cidade, áreas em que as transformações urbanas sejam mais perceptíveis. Observa-se, portanto, que o recorte da cidade de Vitória se desdobra em recortes secundários. Esses recortes menores não visam o aprofundamento de um caso especifico, mas ilustram de forma mais precisa as questões abordadas em momento anterior do trabalho. O método adotado corresponde basicamente a espacialização, e sobreposição, de informações socioeconômicas, imobiliárias e de regulação do espaço público. Uma vez espacializadas estas informações são realizadas as análises da organização espacial da sociedade e sua relação com a dinâmica imobiliária, a regulação do território e a política habitacional, tendo como unidade os bairros. Tal estudo conclui que, no caso brasileiro em geral, e no caso capixaba, em particular, a habitação ocupará um papel destacado nesta composição de elementos que se apropria do espaço urbano e reproduz nele relações de produção capitalista. A seleção de áreas para a moradia dos diferentes grupos sociais manifesta, de forma mais clara, as relações de exclusão e exclusividade na cidade. Ao se debruçarem em programas de financiamento, as políticas habitacionais (e de desenvolvimento urbano) partem do pré-estabelecimento da habitação como mercadoria de alto valor relativo, admitindo tal condição como certa, definida. Ocorre, portanto, um esvaziamento de ações (e do próprio pensamento teórico) voltadas para a captura de parte do valor empregado na valorização habitacional, não somente no que concerne a questão fundiária, mas da sua somatória ao conjunto urbano, isto é, a localização na cidade.

Palavras-chave: Planejamento Urbano; Política Habitacional.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910