Preservação de mananciais sob a ótica da sobrevivência: história e sustentabilidade a partir do Rio Santa Maria da Vitória/ES

Nome: Cynthia Lopes Pessoa de Miranda
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 04/12/2009
Orientador:

Nomeordem crescente Papel
Eneida Maria Souza Mendonça Orientador

Banca:

Nomeordem crescente Papel
Eugenio Fernandes Queiroga Examinador Externo
Eneida Maria Souza Mendonça Orientador
Cláudio Luiz Zanotelli Examinador Externo

Resumo: Este trabalho busca entender o problema da preservação dos mananciais nas cidades brasileiras sob a ótica da sobrevivência, a partir de uma perspectiva histórica. Acerca do termo sobrevivência, propõe-se considerar dois sentidos. O primeiro ligado ao uso popular geral, o continuar a viver depois de um determinado acontecimento, referindo-se tanto aos mananciais quanto aos excluídos urbanos, neste contexto marcado pela produção capitalista da cidade, que é desigual em sua própria essência e tem como resultado a degradação ambiental e social. Já o segundo sentido considerado, refere-se aos mananciais urbanos em si, ao colocar sobrevivência como aquilo que permanece como prova e exemplo de uma condição mais nova, de um novo estado da sociedade, mas que perdeu sua utilidade, função ou significado. De fato, isso se expressa, de forma geral, nas cidades brasileiras, onde os espaços fluviais têm se caracterizado como meras sobrevivências, espaços residuais, degradados, desprezados, desvalorizados. Dessa forma, propõe-se tratar essa problemática, entender essa condição atual dos mananciais urbanos brasileiros, a partir da análise histórica de dois lugares bastante distintos conectados por um mesmo manancial, o Rio Santa Maria da Vitória/ES: Santa Leopoldina, município da região central serrana do Espírito Santo localizado no início da parte navegável do rio; e Ilha das Caieiras, tradicional bairro do município de Vitória ligado à vida no manguezal, localizado na região da foz do mesmo rio. A partir do resgate histórico de Santa Leopoldina e Ilha das Caieiras/Vitória, será possível destacar duas questões, respectivamente, apesar das duas aparecerem em ambos. Aquela que diz respeito ao processo de desbravamento e povoamento do território brasileiro, a degradação ambiental que remonta o período da colonização do Brasil, a exploração econômica da Colônia pela Metrópole, as cidades formadas e localizadas em função de interesses econômicos, etc.; e aquela relacionada ao já citado processo de produção social da cidade, historicamente e intrinsecamente desigual por estar fundamentada no modo de produção capitalista. Esta análise permitirá entender a preservação dos mananciais sob a perspectiva da sobrevivência, nos vários sentidos propostos. Palavras-chave: Mananciais Urbanos; Preservação; História.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910