ENTRE o Território, o Patrimônio e a Água a Relação de Dominação e Apropriação na Sede do Município de Santa Maria de Jetibá (es)

Nome: Mariana Paim Rodrigues
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 03/04/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Renata Hermanny de Almeida Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Edmilson Costa Teixeira Examinador Externo
Latussa Bianca Laranja Monteiro Examinador Externo
Renata Hermanny de Almeida Orientador

Resumo: O presente trabalho se insere na tríade temática Território– Patrimônio - Água, cuja
reflexão está inserida na problemática da desestruturação territorial no âmbito
contemporâneo, principalmente, explicitada no alargamento das relações de caráter
explorativo da sociedade para com os elementos naturais. A pesquisa está
referenciada teoricamente nos estudos de Alberto Managhi, o qual discute o território
numa perspectiva patrimonial e estratégica para o desenvolvimento local. Como
autores suportes adota-se os geógrafos brasileiros Rogério Haesbart e Milton Santos
para os estudos das dinâmicas e processos territoriais. Nesse sentido, estudo se
volta para o entendimento da água como elemento estruturante do território e
estratégico para a valorização do patrimônio territorial. O objeto de estudo empírico
nesta pesquisa se trata da sede municipal de Santa Maria de Jetibá. O recorte
territorial compreende os limites da bacia do Rio São Luiz, afluente do Rio Santa
Maria da Vitória, situado na região serrana setentrional do estado do Espírito Santo.
Nesta região do Estado se destaca a influência dos imigrantes pomeranos ali
instalados no final do século XIX. Historicamente, a região se desenvolve,
principalmente, com a produção agrícola de base familiar em pequenas
propriedades. Atualmente, Santa Maria de Jetibá é o maior município produtor de
ovos no Brasil, sendo a área urbana da sede municipal aonde se concentra a
maioria das granjas. Desse modo, acredita-se que é um território que passa ou
passará por significativas transformações territoriais, principalmente devido ao
crescimento e à modernização da agricultura. Portanto pretende-se investigar as
relações entre sociedade e natureza nos processos de territorialização na sede do
município. A metodologia utilizada nesta pesquisa abrange a revisão bibliográfica
acerca da escola territorialista italiana referente à representação territorial, com a
produção de mapeamentos em que se busca conjecturar complexos ativos
territoriais com o conhecimento e reconhecimento dos elementos que constituem o
território. Conclui-se a partir da representação territorial que esse recorte se
caracteriza principalmente por sua relação campo-cidade-indústria apresentando um
importante alicerce cognitivo do território, os imigrantes pomeranos e alicerce
material do território os cursos d’água. Por fim, conjectura-se que a área de estudo
perpassa por um processo de desterritorialização alargada, ou desenraizamento, ou,
ainda, reprodução de multiterritorialidades, devido, principalmente, ao avanço
descuidado da agroindústria e do agronegócio manifestos, também, pela dominação
da água.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910