AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO TÉRMICO EM EDIFICAÇÕES MULTIFAMILLIARES CONSIDERANDO AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Nome: Jéssica de Mello Machado
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 14/05/2019
Orientador:

Nomeordem crescente Papel
Edna Aparecida Nico Rodrigues Orientador

Banca:

Nomeordem crescente Papel
Edna Aparecida Nico Rodrigues Orientador

Resumo: Nas últimas décadas, a comunidade científica tem constatado alterações nos padrões climáticos, evidenciando uma tendência de aquecimento a longo prazo na temperatura média global, que constituirão grandes impactos ambientais sobre as condições de vida no planeta. O comportamento térmico e consequentemente o consumo energético das edificações, serão fortemente afetados. Assim, tanto as edificações existentes quanto as novas precisarão sofrer adaptações. As estratégias projetuais passivas, constituem-se como soluções valiosas para melhorar o desempenho em prol da eficiência energética. O principal objetivo da pesquisa, foi avaliar o desempenho térmico de um edifício residencial multifamiliar naturalmente ventilado, localizado em diferentes cidades brasileiras, considerando estratégias passivas para mitigação do impacto das mudanças climáticas. A metodologia adotada dividiu-se em três etapas principais. Inicialmente, foi utilizada a ferramenta computacional Climate Change World Weather File Generator para a geração dos arquivos climáticos futuros, referentes aos anos de 2020, 2050 e 2080, tomando como base o cenário A2 do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, para as cidades de Manaus, Brasília, Porto Alegre e Vitória. Para a investigação, foi considerada uma tipologia residencial multifamiliar hipotética, representativa para os edifícios construídos no Brasil. A partir desse modelo, foram propostas medidas de adaptação passivas embasadas pela NBR 15220-3:2008. Realizou-se simulações térmicas para os dois modelos paramétricos por meio do software DesignBuilder. A avaliação do desempenho foi efetuada por meio dos índices de frequência e graus horas de desconforto térmico. Os resultados demonstraram níveis de desconforto térmico para os dois modelos. A proposta de retrofit exibiu melhoras significativas para todas as cidades, no entanto, ainda apresentou desconforto térmico. Assim, verificou-se que a doção de estratégias bioclimáticas adequadas pode contribuir para a melhoria do conforto no ambiente interno, entretanto, quando consideradas as mudanças climáticas para o período futuro, serão necessárias outras formas de adaptação, sejam elas na edificação ou nas propostas normativas, reforçando a ideia de que toda edificação deve ser projetada para o futuro e não para o passado.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910