A INFLUÊNCIA DA ARBORIZAÇÃO NO MICROCLIMA URBANO: UM ESTUDO APLICADO À CIDADE DE VITÓRIA, ES

Nome: Tatiana Camello Xavier
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 16/10/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador
Denise Helena Silva Duarte Examinador Externo
Edna Aparecida Nico Rodrigues Examinador Interno

Resumo: O processo de urbanização traz para o meio natural várias modificações, dentre elas a remoção de grande parte da vegetação e a alteração dos materiais de superfície, além da inclusão de edificações e produção de poluentes. Essas modificações do meio contribuem para alterações climáticas, produzindo para a cidade o que se denomina clima urbano. A vegetação pode ser utilizada, entre outros aspectos, no intuito de reduzir o desconforto térmico comumente presente no ambiente urbano, principalmente em cidades que possuem clima tropical. Esta pesquisa teve como objetivo quantificar a influência da presença de vegetação no ambiente urbano, em função das interações solo-vegetação-atmosfera trabalhadas a partir de simulações com o software ENVI-met 3.1. A metodologia foi estabelecida a partir da realização de medições microclimáticas para calibração do modelo para a situação climática da área de estudo, sendo posteriormente realizadas as simulações, visando avaliar a influência da vegetação no microclima urbano, a partir de mapas termais gerais da área, gerados pelo plugin Leonardo, e gráficos de pontos específicos, destacando-se que o recorte territorial foi uma área previamente selecionada no bairro Mata da Praia, na cidade de Vitória (ES). A partir dos mapas termais verificou-se a diferença de temperatura nas áreas que possuem maior concentração de vegetação, e também, de umidade. Os trechos mais arborizados tanto nas praças e no parque, quanto nas vias, registraram temperaturas mais baixas e valores mais altos de umidade relativa, no verão e no inverno, na maioria dos horários analisados. A partir dos resultados, pode-se afirmar que a presença de vegetação no meio urbano corrobora para atenuar o rigor térmico, sendo registrada uma diferença máxima de temperatura de até 3,5ºC no verão e 2,5°C no inverno, e 25% de umidade no verão e 32,5% no inverno, em situações extremas.

Palavras-chave: Vegetação urbana. Climatologia urbana. Vegetação e clima.
Simulação (Computadores).

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910