USOS E DESUSOS DE PARQUES URBANOS CONTEMPORÂNEOS: Estudo de caso Parque da Cidade – Serra/ ES.

Nome: Daniela de Paula
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 29/08/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Karla do Carmo Caser Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Daniella do Amaral Mello Bonatto Examinador Interno
Gilton Luís Ferreira Examinador Externo
Karla do Carmo Caser Orientador

Resumo: A partir dos anos 1970/ 1980 o declínio e o esvaziamento dos espaços livres públicos e o surgimento de novas opções de lazer dotadas de conforto e segurança passam a ser comuns nas cidades. Por outro lado, pesquisas recentes têm evidenciado a vitalidade de praças e parques públicos nos quais intervenções físicas associadas a atividades promovidas pela ação de movimentos populares tem contribuído para o resgate de uso desses espaços. Esta pesquisa se fundamenta na importância dos espaços livres públicos destinados ao lazer, em especial dos parques urbanos, para a melhoria do ambiente urbano e da qualidade de vida da população. Tem como objetivo compreender o papel dos parques urbanos contemporâneos utilizando como estudo de caso o Parque da Cidade, situado na Serra – ES. Pretendeu-se com este estudo, abarcar duas questões chave: o uso do parque (atividades, perfil dos usuários, locais e horários mais utilizados) e as percepções dos seus usuários (preferências, demandas, expectativas, sensações e significados atribuídos ao espaço). Essa pesquisa adota uma abordagem metodológica mista (qualitativa e quantitativa) e compreende, além da revisão bibliográfica referente a teorias e conceitos sobre espaços livres públicos, parques urbanos e usos e desusos, a utilização de técnicas variadas de pesquisa de campo (mapas comportamentais, entrevistas com pessoas específicas e entrevistas com usuários). A análise de uso do Parque da Cidade/ Serra identificou que ele assume múltiplos papéis e finalidades, atendendo a diferentes perfis de usuários e que apresenta diferenças de atividades e intensidades de acordo com os dias da semana e horários. O contato com a natureza e a tranquilidade do espaço foram os elementos mais valorizados, entretanto o contato com as pessoas e a proximidade de suas residências, além dos equipamentos esportivos (em especial a pista de caminhada) também se mostraram relevantes. Os aspectos mais desfavoráveis foram a segurança e a falta de sombra. Acredita-se que, além destes resultados, as problemáticas e demandas identificadas nas análises poderão fornecer subsídios a futuros projetos de requalificação e no planejamento de novos espaços.
Palavras-chave: Parques urbanos. Usos e percepções. Parque da Cidade.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910