AVALIAÇÃO DA SUSTENTABILIDADE EM EDIFICAÇÕES ANTÁRTICAS NOS ASPECTOS REFERENTES À QUALIDADE DO AMBIENTE INTERNO

Nome: Marina Silva Tomé
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 03/08/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Engel de Alvarez Orientador
Dielly Christine Guedes Montarroyos Examinador Externo
Edna Aparecida Nico Rodrigues Examinador Interno
Luis Manuel Bragança de Miranda e Lopes Examinador Externo

Resumo: Habitar a Antártica significa superar uma série de severos fatores locais, estando a produção arquitetônica absolutamente condicionada às condições ambientais. Com o passar dos anos, essas dificuldades foram sendo vencidas concomitantemente ao avanço da tecnologia. Entretanto, além do esforço para o enfrentamento das condições adversas particulares ao continente, existe também a necessidade de um esforço de adaptação harmônica do homem com o ambiente. As baixas temperaturas, rajadas de vento, isolamento e a necessidade de preservação do ambiente natural delegam à arquitetura a busca por soluções sustentáveis e que garantam a proteção e condições de conforto adequada aos seres humanos. Assim, o objetivo do trabalho é aprimorar e propor a metodologia dos indicadores de avaliação de sustentabilidade para edificações antárticas desenvolvido por Montarroyos (2015), com foco nos aspectos concernentes às questões da qualidade do ambiente interno, visando atender a lacuna existente na área de conforto no ambiente antártico. Objetiva-se que os indicadores sirvam, também, para orientar os projetistas na etapa de projetos, promovendo uma arquitetura que integre as questões referentes a sustentabilidade e a qualidade do ambiente interno. Para o alcance dos objetivos propostos, os procedimentos metodológicos adotados dividiram-se em cinco etapas. Primeiramente foi feita a revisão bibliográfica dos aspectos concernentes à pesquisa, o que permitiu a definição dos critérios contemplados e limites da avaliação. Em seguida, foi desenvolvido para cada indicador as marcas de referência e seus respectivos pesos e, por fim, análise dos resultados e obtenção do conjunto final de indicadores de conforto. O resultado das análises permitiu a proposição de uma metodologia flexível para a ponderação dos indicadores referentes não só à qualidade do ambiente interno, mas para os aspectos gerais que englobam edificações antárticas.
Palavras-chave: Antártica, indicadores, conforto, qualidade do ambiente interno.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910