A INFLUÊNCIA DAS SUPERFÍCIES VEGETADAS NO CONFORTO TÉRMICO: SIMULAÇÕES NO CENTRO DE VITÓRIA-ES

Nome: Mariana Daré Araujo Neves
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/07/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Daniella do Amaral Mello Bonatto Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Andréa Coelho Laranja Examinador Interno
Cynthia Marconsini Loureiro Santos Examinador Externo
Daniella do Amaral Mello Bonatto Orientador

Resumo: Os danos causados ao ambiente natural intensificaram-se ao longo do processo de urbanização das cidades. Tais danos são resultantes do aumento populacional e do crescimento urbano espraiado sem um planejamento urbano adequado capaz de garantir a qualidade da ambiência urbana. Redução das áreas verdes e dos espaços livres públicos, formação de ilhas de calor, alagamentos constantes, perda de qualidade e da quantidade de água nos corpos hídricos são alguns dos problemas decorrentes desse contexto. Diante dessa problemática, diversas pesquisas direcionam-se à qualidade do ambiente urbano, ao conforto térmico e à mitigação de problemas bioclimáticos. Considerando que áreas verdes são fatores preponderantes para a amenização climática, este trabalho objetivou avaliar a capacidade de melhoria do microclima urbano e do conforto térmico pela influência dos telhados e paredes vegetadas, utilizando para o estudo uma área já consolidada e carente de vegetação, no Centro de Vitória – ES. A metodologia de pesquisa baseou-se na literatura sobre clima urbano, técnicas de aplicação de superfícies vegetadas no Brasil e no exterior e simulações no software Envi-met para aferir a influência dessas superfícies ao nível do pedestre. As simulações consideraram as variáveis climáticas como temperatura, umidade e velocidade dos ventos para fins de análise dos seus efeitos na configuração urbana delimitada. Os resultados demonstraram que a inserção da vegetação nas paredes construídas diminuiu até 4,3 °C na temperatura do ar e 02 pontos do PMV. A inserção da vegetação nos telhados pouco reduziu no nível do pedestre - 0,08 º C e 0,03 pontos do PMV - dado os edifícios estudados serem altos, situação em que telhados verdes têm maior influência sobre a temperatura interna. As simulações demonstraram a eficiência das paredes verdes em melhorar o microclima urbano em área consolidada e que não teria capacidade de receber arborização urbana, sendo uma alternativa adequada e possível.
Palavras-chave: Superfícies vegetadas. Simulações. Conforto térmico. Qualidade urbana. Envi-met.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910