PERCEPÇÃO DA PAISAGEM NOS PASSOS DE ANCHIETA

Nome: Giovani Bonadiman Goltara
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 27/03/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Eneida Maria Souza Mendonça Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Eneida Maria Souza Mendonça Orientador
JOSE OTAVIO LOBO NAME Examinador Externo
Milton Esteves Junior Examinador Interno
Vladimir Bartalini Examinador Externo

Resumo: Considerando a paisagem algo de complexa compreensão, este trabalho busca uma leitura do conceito sob a ótica da percepção e da representação. O objetivo é avaliar a percepção da paisagem no movimento da caminhada, em parte do litoral sul-capixaba compreendida pelos “Passos de Anchieta”. Anualmente, o evento percorre 100 quilômetros de Vitória a Anchieta (ES) em quatro dias, e sua mitologia fundadora se baseia em indícios de que São José de Anchieta o percorria em sua estada na capitania no final do século XVI. A região compreendida apresenta uma mescla de áreas preservadas de restinga, em contraste com diversos tipos de ocupação, e vive em constante conflito de interesses. A base teórica está na paisagem vivida, e busca apresentar a ideia da paisagem como um acontecimento, engendrado pela percepção, e representado pela fotografia. No papel de andarilho em 2016, busquei observar a relação dos participantes com a paisagem, e criar uma caracterização do percurso de forma escrita e visual. Em comparação com a história da constituição da paisagem dos lugares, avaliei-os de forma a indicar possíveis cenários de ocupação futura. Em 2015 realizei entrevistas com andarilhos em paradas da caminhada, buscando avaliar sua percepção através da memória falada; e em seguida análise de fotografias do evento coletadas da rede social Instagram, bem como seus dados, e a sequente sistematização e análise visual, com objetivo de ponderar como é representada a paisagem. Existe uma paisagem dos Passos de Anchieta? Sim, formada por elementos naturais característicos do litoral capixaba, juntamente com ocupações litorâneas e a presença irrefutável dos caminhantes. Tal questão fundamental à pesquisa foi respondida pela observação in loco e por fotografias, o que indicou preferências pela paisagem mista, contrariando, em parte, a ideia inicial de que o interesse na cainhada seria pelos elementos naturais. Entretanto também existem “momentos de paisagem” que são acontecimentos no espaço e no tempo que definem um “sistema de paisagem” interconectado pelo movimento da caminhada e representados pela fotografia.

Palavras chave: percepção da paisagem; caminhar; evolução da paisagem; fotografia; acontecimento.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910