SÃO MATEUS: DO LUGAR À VILA

Nome: Sofia Maria Valente Simões dos Santos
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 10/03/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Nelson Pôrto Ribeiro Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Almerinda da Silva Lopes Examinador Externo
Helder Alexandre Carita Silvestre Examinador Externo
Nelson Pôrto Ribeiro Orientador

Resumo: A pesquisa de mestrado - São Mateus: do Lugar à Vila - é do âmbito da História do
Urbanismo Colonial no Brasil, trata do povoamento do rio Cricaré/ São Mateus sob a
hipótese de que seja de longa duração, caracterizado por alguns (des)povoamentos,
e provavelmente resultante da necessidade de aproximação de núcleos de um
complexo urbano mais vasto, como Bahia, Espírito Santo, ou mesmo Rio de Janeiro.
O rio Cricaré faz parte da historiografia colonial brasileira desde o primeiro século,
tendo sido divulgado em Lisboa como um meio de se chegar às minas, através do
Tratado da Terra do Brasil, de Pêro de Magalhães Gândavo, ca 1568; mais tarde em
Madrid, em 1587, no Tratado descritivo do Brasil, de Gabriel Soares de Sousa e no
início do século XVII no Livro que dá Rezão do Estado do Brasil com ilustrações de
Teixeira Albernaz I. Tem por objetivo identificar momentos de povoamento da região
de São Mateus, entre o século XVI e XIX, para que concretamente possa chegar a
um entendimento de evolução urbana de S. Mateus. A metodologia utilizada é
própria, de pesquisa e recolha documental arquivista, e parte do pressuposto
teórico-metodológico proposto por Reis Filho, na obra Contribuição ao estudo da
Evolução Urbana do Brasil- 1500/1720, com base na sociologia e geografia. É
essencial o contributo dos estudos de Beatriz Siqueira Bueno, quanto ao “conceito
de território e suas vinculações com a cartografia,” assim como, de Pedro Almeida
Vasconcelos, quanto à geografia urbana histórica e a cartografia. Os registros
iconográficos, quando existentes, podem comprovar a materialização das
estratégias ou ações dos agentes envolvidos, mas será a confrontação dos vários
tipos de documentos de fonte primária que permitirá avaliar a continuidade, e/ou
eficácia de princípios determinantes e reguladores do território. A partir da análise
destes dados, obtêm-se os resultados que permitem construir mapas conjecturais,
representativos de momentos específicos de consolidação e evolução urbana da Vila
de S. Mateus. Assim, a pesquisa apresenta-se organizada em três capítulos. No
primeiro capítulo, faz-se a análise do reconhecimento geográfico-histórico, através
da iconografia cartográfica, identificam-se as continuidades e/ou mudanças na
apropriação do espaço, materializadas no território. No segundo capítulo, dedicado
ao povoamento, identificam-se momentos de povoamento do território. No terceiro
capítulo, com os resultados obtidos da análise da pesquisa documental,
apresentados nos dois capítulos precedentes, elaboram-se três mapas conjecturais,
que compreendem o intervalo de quase 100 anos de São Mateus como Vila, visando
o entendimento da sua evolução urbana. Conclusivamente este estudo dá a
conhecer momentos de povoamento da região de São Mateus, entre o século XVI e
XIX, e concretamente, o entendimento da evolução urbana da povoação de S.
Mateus, elevada a Vila, em 1764 e Cidade, em 1848.

Palavras chave: Planejamento urbano. Urbanismo. São Mateus (ES). História.
Período Colonial Brasileiro.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910